Contos da Panda


Cristal e o Viking


As luzes estavam apagadas, a casa estava vazia, Cristal abriu a porta com o coração na mão e de repente ouviu-se um grito:

- SURPRESAAAAAAAAAA!!!! – seus amigos e familiares gritaram.

Cristal começa a rir. Sempre foi uma garota alegre e divertida, sempre levou a vida com muito bom humor, apesar das piadas como papel e branquela. Cristal é branca como papel, mas ela prefere ser chamada de branca de neve, que sempre foi sua história favorita. Uma garota delicada e feminina, mas muito sensual quando resolver provocar. Tem cabelos longos, enormes na verdade, e não passa dos 1,55 de altura. Um hobbit, segundo seus amigos mais próximos, e ela nem se importa: ELA AMA SENHOR DOS ANÉIS!

- Parabéns! – as pessoas a abraçavam e desejavam felicidades com palavras bonitas e bons desejos vindouros, mas o abraço mais esperado chegou e era o do Lucca, o carinha que ela gostava.

- Oi, parabéns! – ele deu um abraço apertado nela, um beijo no pescoço e sorriu, e ela sabia que era pura provocação.


- Obrigada, Viking! – Lucca ganhou esse apelido por ser loiro e amante da mitologia nórdica, com cabelos nos ombros e olhos escuros como breu, mas sempre foi sucesso com as meninas, e com a Cristal não foi diferente.

Depois de todo aqueles festejos e cumprimentos, típicos de aniversários, Cristal saiu para a varanda, no andar de cima da casa, um lugar calmo e de muita paz. Lá, ela podia olhar o céu, ver as estrelas e sentir o cheiro da noite, que era, na opinião de Cristal, o melhor do mundo. Ela podia ouvir o ruído de conversas e músicas no andar de baixo e toda aquela agitação de festas de aniversário.

Enquanto comia o seu pedaço de bolo, sentiu um perfume conhecido: Era o Viking.

- Oi! – Ele diz, apoiando os braços no parapeito da varanda, inclinando-se para frente – sempre fugindo de todo mundo né?!

- Sempre! – ela responde, colocando o bolo na cadeira ao lado e ficando apoiada no parapeito ao lado dele – você sabe que sempre procuro lugares calmos. Amo olhar a muvuca de longe, apenas.

Eles já se conhecem há um tempo e sempre pinta aquele clima quando estão perto um do outro. O viking não consegue parar de olhar Cristal, e ela sempre dá um sorriso tímido quando isso acontece.

Ele chega mais perto de Cristal e fica de frente pra ela, e ela pra ele. Ela sente seu estomago virar e suas mãos tremerem. Sente que não consegue respirar direito. Lucca puxa Cristal pela mão e passa a mão por sua cintura. Ela não sabe muito bem o que fazer com a mão, mas acaba passando em volta do pescoço dele. Ficam testa colada com testa, sentindo a respiração um do outro. Ela sabe como isso vai acabar... é como sempre acaba. Ele beija seu pescoço e depois sua boca, ela sente ele puxar o corpo dela para mais perto e sente a mão dele deslizar por suas costas.

Sempre é uma experiência incrível estar com ele. Desperta sentimentos indescritíveis nela. Ela abraça ele com mais força, e os dois estão colados corpo no corpo, como um só. E o beijo rola, e ela sabe que esse momento é deles, e apenas eles sabem o que estão sentindo.


Nos envie o seu conto 

Com Carinho,
Panda
@coisasdelivros

Nenhum comentário

Postar um comentário

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger