Entrevista: Beatriz Gandolfi

Você sabe o quanto é difícil publicar um livro sendo alguém tão jovem, afinal, quantos escritores juvenis você conhece? Infelizmente essa é uma realidade que faz parte da vida de todo leitor e de todo aspirante a escritor.
Mas, também, não quer dizer que seja completamente impossível. Brasileiro nunca desiste, lembram-se dessa frase, correto?
E foi assim que a escritora Beatriz Gandolfi realizou seu sonho: publicar um livro (com apenas 15 anos!).
Eu tive uma conversa mais que agradável com ela onde falamos de seu livro, "Só Mais Um Espetáculo", futuros trabalhos e A Seleção!
Eu quero agradecer mais uma vez a Beatriz, que foi maravilhosa desde quando a contatei até a entrevista.
Você não vai querer perder essa entrevista, vem conferir!
Como surgiu a ideia do livro Só Mais Um Espetáculo?
B- A ideia do livro surgiu de um sonho que eu tive na noite anterior á que eu comecei a escrevê-lo, eu sonhei com odesfecho do livro, inclusive o último capítulo foi o primeiro que eu escrevi!
Nossa, que demais.
B- Sim, foi bem diferente. (risos)
Como foi essa experiência pra você, de estar escrevendo um livro?
B- A experiência em si foi muito curiosa, por alguns fatores como eu não esperar em nenhum momento que eu fosse concluir o livro, escrevi ele mais como um hobbie e a conclusão de um sonho pessoal, de deixar uma marquinha no mundo, então quando eu coloquei o ponto final na história foi uma situação de espanto (risos) e também porque eu sentia, enquanto escrevia, muitas coisas que havia lido já descritas por autores famosos como a Kiera Cass, de A Seleção, como por exemplo que os personagens criam uma vida própria, então você narra os fatos e escreve situações onde não importa o que você, autor, faria, mas sim o que o personagem faria. Eles (os personagens) acabam se tornando seus pequenos bebês, e eu não acreditava que era esse o real sentimento enquanto se escrevia um livro, sempre achei que isso fosse só "conversa".
Você pretende continuar escrevendo?
B- Claro! Escrever é minha paixão, é como se fosse minha válvula de escape onde eu realizo todos os meus sonhos e vivo inúmeras vidas. O sentimento de escrever é maravilhoso, traz paz pra minha alma mesmo nos dias mais conturbados. E nada se compara ao sentimento de ter seu livro em mãos, é algo surreal e indescritível. E eu já até tenho alguns rascunhos e ideias para próximas obras!
Epa! Estava esperando anciosa por essa resposta. (risos).
B- Então acho que dei a resposta certa! (risos) Ainda bem!
Com certeza! Você se identifica em alguma característica ou momento vivido pela personagem principal do seu livro?
B- Na verdade lendo o livro após sua impressão e finalização gráfica de fato, eu notei que há um pouquinho de mim em cada pedacinho da história e em cada personagem, o que me surpreendeu um pouco, aliás! Na Connie, que é a personagem principal da trama, há uma determinação - mesmo que inconsciente por sua parte - de mudar o mundo com pequenos atos, ajudar uma pessoa aqui, outra acolá, tentar fazer com que todos entendam que não há nada de errado e é maravilhoso ser exatamente como você é! E também a coragem que ela adquire ao decorrer do livro e o estilo sonhador que ela tem, acho que tudo acaba sendo um pouquinho Bia também, então Connie e eu temos algumas coisas em comum e nós daríamos consideravelmente bem se ela fosse minha amiga.
É como se a gente se colocasse ali né, mesmo que a gente não perceba ou tenha a intenção, acho que é inevitável né?
B- Sim! Quando eu terminei o rascunho do livro, e mesmo na hora de finalizá-lo eu não acreditava que teria "EU" ali, foi só depois que uma professora de redação, Edjane, leu o livro e me disse que viu muito de mim nos personagens e que eu o li com mais atenção que eu pude perceber que realmente eu estava ali, quase imperceptível mas estava! Foi bem estranho perceber isso! E talvez seja por isso que falam que os livros são como filhos para seus escritores, porque como em seus filhos, tem algo, talvez muito, de você neles.
A leitura faz parte de você, como surgiu a paixão por livros?
B- Eu cresci rodeada por livros porque minha mãe sempre leu bastante, e eu sempre achei fascinante quando ela me contava as histórias dos livros, na época ao meu ver, imensos e sem imagens! E ela sempre leu livros para que eu dormisse e comprava livros infantis para mim, então aos dez anos eu já havia lido a saga crepúsculo em português e com 11 já havia a lido em inglês também! Então minha mãe tem 100% da culpa sobre minha paixão desenfreada por leitura!
O incentivo dos pais a leitura é muito importante para que haja esse interesse desde a infância. Você acha que esse papel deveria se aplicar a todos?
B- Eu acho que há pessoas como meu pai que simplesmente não se interessam muito pela leitura, e não os culpo por isso, as pessoas tem, naturalmente, gostos diferentes e isso é perfeitamente normal. Mas eu acho sim que todos pais deveriam incentivar seus filhos a leitura os comprando livros quando crianças, lendo para eles, e os levando á locais como bibliotecas; é inacreditável o número de jovens que nunca foi a uma biblioteca! E é fato: jovens que leem tem uma mente mais "pensante", então acho que pelo bem dos próprios filhos deveria haver um maior incentivo de todos os pais, independente de seus gostos pessoais.
Quando você terminou de escrever seu livro, você já tinha em mente publica-lo ou esse pensamento veio depois?
B- Para falar a verdade eu sonhava em ver um neto meu pegando um livro da estante, ainda criança, e mostrando orgulhoso a uma amiga dizendo "olha minha vovó quem escreveu este livro", mas publicar "Só Mais um Espetáculo" não estava nos meus planos! Eu só o publiquei por total incentivo dos meus pais, dos meus avós e da minha irmã mais nova, de apenas 10 anos que me ajudou durante todo processo de criação do livro! Se não fosse o apoio, inventivo e persistência deles, "Só Mais UmEspetáculo" seria só mais um arquivo Word em meu computador, então se você ler o livro e gostar agradeça a eles! Sem eles ele não teria saído do e pequeno projeto tão cedo.
Você é super jovem, publicou o livro com apenas 15 anos. Você tem algum conselho ou dica para os jovens que tem esse sonho de se tornarem escritores?
B- Ouça as pessoas que acreditam em seu potencial, muitas vezes mais do que você - meu caso - elas quem te ajudarão durante toda sua vida e te apoiarão sempre; não tenham medo do "não", você já tem o "não" o que custa ir atrás do "sim"? Isso leva a ser muito corajoso, coragem é fundamente para qualquer escritor, mesmo que ninguém perceba eles todos são pessoas muitíssimo corajosas; e o mais importante: Nunca, sob hipótese alguma, cogite desistir de um sonho seu. NUNCA desista de seus sonhos, por mais impossível que ele pareça, e por mais difícil que possa estar parecendo completá-lo e por mais dificuldades que você esteja encontrando, se você tem um sonho, por favor, não desista dele. Eu, com 15 anos, publiquei um livro e realizei meu sonho que parecia impossível, especialmente considerando minha pouca idade, para muitos, do mesmo modo que - ainda bem e com muita sorte - já realizei vários outros e já tenho milhões de outros na fila para serem realizados. Então se eu, um ser humano completamente comum, realizei meus sonhos, o que te impede de realizar os seus? Então não se importe com o que os outros falem, nunca desista de seus sonhos; acho que essa é a coisa mais importante que eu tenho á deixar para todo jovem escritor e pessoa nesse mundo que as vezes parece tão difícil: nunca desistam de seus sonhos. Se você pode sonhar você pode realizar; sei que é clichê mas é a coisa mais verdadeira e mais importante já dita pelo homem.
O mudou na sua vida após a publicação do seu livro?
B- Eu percebi de uma vez por todas que realizar meus sonhos é possível sim, e me mostrou o que eu realmente amo fazer: escrever. Até me ajudou na escolha dos possíveis cursos que farei na faculdade! Além das pessoas que eu conheço e não conheço me reconhecerem na escola, academia, até no cinema (!) pelo livro e me perguntarem "Você é a Bia Gandolfi? Aquela que escreveu um livro?" E a parte mais legal é que as pessoas gostaram do livro e já me perguntam sobre um possível segundo livro! É muito diferente!
Sobre seus novos projetos, você já pensou em continuar a jornada de Connie?
B- Quando eu terminei o livro não era minha intenção, nem havia pensando em uma continuação para Connie pós "Só Mais Um Espetáculo". Isso era algo até pouco tempo inimaginável para mim. Mas as pessoas que leem o livro me pedem tanto por uma continuação que eu não descarto 100% esta possibilidade. Mas se isso acontecer será mais para frente porque eu tenho algumas narrações para me apaixonar por antes, ainda. Mas quem sabe algum livro contando mais detalhadamente sobre o futuro de Connie? Talvez, por um de seus filhos? É uma possibilidade, mas mais para o futuro, também porque eu sinto que com meu amadurecimento, Connie amadureceria também e isso seria melhor para ambas.
Quais são os seus livros favoritos?
B- Ai, eu não gosto dessa pergunta! É a mais difícil, sempre! (risos)
Não favoritos, mas que mais marcaram a minha vida de leitura acho que foram:
Deslembranças (quando escreveu a autora tinha apenas 16 anos então é um dos que mais me motivaram!)
A Seleção - eu li bem no começo quando nem o segundo livro estava lançado e me apaixonei pela trama e por acreditar que todas podemos sim sermos princesas.
A Última Música - clássico do Nicholas Sparks, me ensinou muito.
A Breve Segunda Vida de Bree Tanner - pra complementar a Saga Crepúsculo, foi o primeiro livro em inglês que li por conta própria.
• Sagas Percy Jackson e Fallen - pelo simples motivo de serem maravilhosas.
E os autores que te inspiram?
B- Cat Patrick de Deslembrancas, porque publicou o livro muito nova;
Stephenie Meyer porque teve o livro Crepúsculo rejeitado duas vezespor diversas editoras e se tornou um best-seller; E a que mais me inspira: Kiera Cass.Eu tive a honra de estar em dois eventos com ela e seu marido que são pessoas maravilhosas, extraordinárias até, e "normais". Na primeira vez que a vi eu disse que agradecia por ela ter me mostrado que eu podia ser uma princesa exatamente como eu era, sem mudar 1cm de mim. E eu muito emocionada por ter ela em minha frente e por tudo que seus livros agregam a minha vida estava quase à beira das lágrimas! Ela então me abraçou forte, pôs as mãos em meus ombros e disse olhando em meus olhos "Você é linda, você é uma princesa: você é minha princesa.E depois me pediu e fez com que eu sonhasse que eu nunca pararia de sonhar e sempre acreditaria em meus sonhos; então sem ela eu com certeza não teria meu livro publicado hoje.

Pra você, o que é ser escritor?
B-
Ser escritor é amar o mundo, ser um verdadeiro e corajoso sonhador; ser um alguém que se importa com as pessoas e quer que elas esqueçam de seus problemas e sejam completamente tomadas por um mundo que está ali, naquelas palavras e frases. É, com sorte, mudar o mundo para melhor em passos de formiguinha. É como lançar uma gota d'água em um incêndio, parece nada mas é fundamental. É viver milhares de vidas e querer que outras pessoas a vivam. Ser escritor é ser, de certa forma, mágico. Ser autor, nada mais é do ser uma estrela na escuridão do céu, é iluminar e se deixar ser iluminado. É fazer a diferença na vida das pessoas mesmo que elas não se deem conta disso.

Qual a maior dificuldade que você encontrou no processo de publicação do seu livro?
B-
Saber por onde começar, porque como publicá-lo não era minha intenção inicial eu era uma completa analfabeta a respeito do processo de editoração no Brasil. E o fato do autor ter que pagar para publicar seu livro independente da editora, e valores altos como 15 mil reais para mais!

A literatura nacional por mais que venha crescendo bastante atualmente ainda disputa espaço com a literatura estrangeira. E publicar um livro é extremamente difícil ainda mais sendo jovem. Escritores nacionais e jovens escritores merecem mais espaço e valorização, na sua opinião?
B-
Eu acho que sim, não só mais valorização mas também mais espaço no mercado consumidor uma vez que as grandes livrarias praticamente negam a entrada de qualquer livro nacional recente que não seja "popular" e ainda mais de autores jovens, visando o lucro, geralmente vendem os "livros febre" como ocorreu com 50 Tons de Cinza, e até por falta de costume a população não valoriza os novos escritores, quantas vezes você pode ver pessoas nas livrarias pedindo por livros que não eram conhecidos? Pouquíssimas, na maioria dos casos. Então acho que deveria haver mais espaço e incentivo á jovens autores.

Nesse espaço, você pode divulgar suas redes sociais e seus trabalhos:
B-
Twitter: @BiaGandolfi Instagram: @BiiaGandolfi Facebook: Beatriz Lima Gan E-mail: bialimagan@bol.com.br Autora do Livro "Só Mais Um Espetáculo" 💙

Um recado para nossos leitores?
B-
Vou repetir o que sei lá em cima porque acho que é a coisa mais importante que eu tenho pra dividir: Nunca desistam dos seus sonhos. Nunquinha, por nada nesse mundo. Ah! E lembrem-se sempre de serem felizes e fazerem a vida Valer a Pena.

Muitíssimo obrigada por essa entrevista Bea. Por ter cedido um tempo seu pra gente fazer isso, eu realmente adorei.

B-
Pri, eu é quem agradeço! Foi maravilhoso!




5 comentários

  1. Nossa, que legal, novinha, também acho que o povo devem dar mais valor para literatura nacional, pois eles também tem o que oferecer que nem os extrangeiros e realmente se não tem um certo "ibope" as livrarias, acabam enrolando e o autor acaba indo para o prejuizo, não só financeiro mais literario, pois ele esta fazendo a parte dele, as pessoas que não dão valor para conhecer algo novo, que não está na midia..

    Beijinhos =*
    www.eraoutravez.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pamela, como vai? Infelizmente não há muita valorização na literatura nacional, mas quem sabe isso não está prestes a mudar? Espero que sim, temos bilhetes autores nacionais :D

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Amei essa entrevista!!! *---*
    Foram perguntas bem abordadas e diretas, imagino o quanto é complicado publicar um livro ainda mais sendo tão jov, dico muito feliz que ela tenha realizado seu sonho!!! ❤
    Sobre a literatura nacional realmente é complicado, ultimamente ela vem crescendo e sendo mais divulgada no entanto ainda não é tão valorizada quanto merece!
    Vi que você aprecia literatura nacional então gostaria de deixar aqui um convite para conhecer a minha Campanha Literatura Brasileira e quem sabe responder a Tag! Seria muito nem vinda *-* Caso responda me envie o link que eu adoraria ler suas respostas hehehe
    Bjooooos
    Parabééééns pela entrevista!

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eloísa! Que lindo ler que você está feliz pela realização de meu sonho! Foram palavras muito belas as que você escreveu aí acima :) Animaram meu dia e meu ser <3 Ficaria honrada de participar de uma campanha que me parece tão bela quanto a sua ! Depois me mande um e-mail bialimagan@bol.com.br , adoraria falar sobre isso com você! Beijos

      Excluir

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger