Resenha: Cinco Anos.

 Título: Cinco Anos.
Autora: Cristiane Broca.
Editora: Ases da Literatura.
Número de páginas: 295.
Ano de publicação: 2013.
ISBN: 978-85-915571-0-3.
Sinopse: Ângela Barros é uma jovem jornalista de vinte e um anos. Com um pai doente, endividada e lutando por um emprego que está lhe escapando pelas mãos, vê seu destino mudar após conhecer o também jornalista Marcos Andrade, que lhe faz a pergunta chave: Onde você se imagina daqui a cinco anos?
A partir de então se inicia uma jornada na vida desta jovem batalhadora que, olhando para si mesma, decide marcar o tempo e assumir as rédeas da própria vida
Entre erros e acertos, vitórias e derrotas, ela irá descobrir que tudo tem a hora certa de acontecer, e que somente um amor guiado pelo destino será capaz de libertar seu coração das barreiras que o cercam.
 
 
 
Um livro sobre perda, amor e perdão: essas são as palavras perfeitas para descrever o livro Cinco Anos.
Ângela e Marcos, personagens principais, são extremamente cativantes e realistas. É uma ficção romântica real, puramente real.
O livro se passa em cenários lindos de São Paulo, e eu que sou carioca, anseio arduamente ter a chance de visitar cada ponto citado no livro e imaginar como as cenas se prosseguiram na mente da autora enquanto ela escrevia cada detalhe embora já tenha me sentido presente em cada lugar ao ler o livro.
Ângela é uma jovem batalhadora com um pai doente e aposentado e luta fortemente contra o medo de perdê-lo assim como havia perdido a mãe.
Marcos é um jornalista conhecido, promissor em sua carreira, sério demais enquanto foge de compromissos sérios.
Quando se cruzam, é quando seus mundos começam a virar de cabeça para baixo drasticamente sem nem que os próprios percebam ou tenham controle sobre algo a partir desse momento.
E então Marcos lança uma pergunta, um desafio a Ângela, imaginar como será sua vida daqui a cinco anos. Confesso que assim como a protagonista, passei um belo tempo tentando imaginar como minha vida estará até lá.
É um clichê que imaginemos sempre o que queremos, mas o que não sequer deixamos passar pela nossa mente que a vida nos prega peças inusitadas e que um único ponto ou vírgula pode mudar nossa história para sempre.
Tanto Ângela como Marcos já tinham seus planejamentos, só não contavam que suas vidas estariam conectadas para sempre.
 
"Eles se abraçaram porque não podiam se olhar novamente sem continuar de onde pararam. Seus corações estavam acelerados e suas respirações ofegantes. Ângela encostou o rosto no ombro dele e permaneceu de olhos fechados por um tempo, tentando recuperar a razão".
 
Os longos cinco anos dos dois personagens são retratados no livro de uma forma muito clara que nos permite acompanhar passo a associada etapa de suas vidas e conhecer a história dos personagens mais a fundo.
Não posso deixar de citar algo que também foi importante para o livro, as citações de Legião Urbana, Fernando Pessoa e outros, que foram minimamente escolhidos para encalhar o começo de alguns capítulos e que tiveram todo o sentido para mim pois se referia a um momento ou sentimento de determinado personagem com o passar do livro de romance, e que também são reflexivas para mim.
No decorrer de toda a vida de Ângela durante os cinco anos que passam no livro é possível perceber e acompanhar o amadurecimento da personagem, conhecer sua história e se cativar por cada momento de amizade ou de família. Já Marcos é um cara, sim, mais maduro desde o inicio do livro. Eu o julgava por achar que ele fugia de compromissos por diversão, pois era o que sempre propunha a suas companheiras, mas acabei conhecendo seu outro lado, graças a escrita narrativa de Cristiane Broca, eu percebi que Marcos também tinha suas dores, medos e rancores.
Este livro me entusiasmou e com certeza a escrita da autora deve ser explorada por todos, pois realmente vale a pena.
Ambos haviam perdido coisas que amavam e somente ao longo desses cinco anos, em meio a encontros e desencontros, é que percebem que não se deve temer.
É lindo ver a relação de amor e afeto que Ângela nutre pelo pai, me emocionei inúmeras vezes, desejando aquilo para mim enquanto me identifiquei com Marcos e parte de sua dificuldade quanto ao perdão e é o que mostra o quanto o livro é verdadeiro.
Além disso, o amor conturbado pelo medo de amar e perder dos personagens só me fez torcer para um final feliz.
 
"Olhando para Ângela, ele sabia que qualquer contratempo ou dia difícil acabaria ali, nos braços de sua menina".
 
Posso afirmar bem aqui que além de ter lido Cinco Anos, eu o vivi. Li este livro como se minha vida dependesse disso e fiquei triste pela hora em que percebi que estava chegando aos últimos capítulos.
Levei três dias para me identificar, torcer, me emocionar e me apaixonar por este livro que nos ensina os verdadeiros valores da vida.
 
Mas e você, onde se imagina daqui a cinco anos?

Um comentário

  1. Essa resenha me deixou com os olhos cheios de água. Obrigada, Priscila, pelo belo relato sobre a história de Cinco Anos e suas emoções ao longo da leitura. Para um autor, não há prazer maior do que saber que sua obra tocou fundo o coração do leitor. Logo teremos a continuação desse romance, e espero de coração que possa lê-lo e que o aprecie tanto quando apreciou o primeiro. Um grande beijo e boas leituras!!!

    ResponderExcluir

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger